30 mil motivos

30 mil motivos


Eu queria ter raiva por ter me tornado diabético, mas não consigo.

Queria odiar o fato de, todos os dias, ter que acordar e a primeira coisa que preciso pensar é como ser um pâncreas.

Queria lamentar de, mais uma vez, estar tirando sangue dos meus dedos, estar enfiando por diversas vezes uma agulha em minha barriga e torcer para que o dia não venha ser uma verdadeira montanha russa, cheia de açúcar por dentro das minhas veias.

Sentir ódio de estar neste momento escrevendo tudo isso me recuperando de uma hipoglicemia.

Na verdade eu poderia isso tudo, pois tenho 30 mil motivos pra isso, mas escolhi diariamente não ser assim.

Acreditar que ser o “Senhor simpatia”, “Mr. Positivo” é algo mentiroso, falso e que essa história não passa mais de pequenos trechos da uma falsa vida de um simpático diabético e do seu fantasioso blog.
Não é possível que ele não tenha raiva em algum momento?! Tenho, mas escolhi não descarregar aqui e pronto.

São escolhas, assim como eu posso agradar alguns e provocar a ira de outros sendo assim.

A decisão literalmente está em suas mãos, assim como está na minha quando optei por criar um blog e dividir histórias positivas.

Na semana passada a página do Facebook chegou aos 30 mil seguidores. Puxa Pablo, que bacana hein?! Claro que sim, olha a quantidade de gente que por algum motivo chegou aqui para saber quem é essa tal de Bete do Pablo?

E quanto mais pessoas me acompanham, maior fica a responsabilidade com as milhas palavras e isso não parece, mas é algo sério. A internet tem um imenso poder de influenciar os outros.

Falar de uma doença tão séria então! Se eu fosse compartilhar o que já recebi e que vocês não tem acesso, daria um livro.

Falando em doença, sim tenho uma, mas que nunca me incapacitou!

Ter uma doença não me tornou vítima dela e NUNCA me colocou na condição de doente.

E por meio do diabetes quantas coisas boas aconteceram na minha vida e vocês sabem disso.

Continuarei somando minha histórias com a de vocês, com detalhes, sem rodeios e com todas as curvas, não só glicêmica, com fases boas e outras, nem tanto. Faz parte.

Ah sim, para aqueles que tacam pedras, continuem, pois cato todas elas para realizar um belo canteiro para proteger a árvore da minha vida.

E para aqueles que aqui estão desde o início, durante e agora, obrigado. Sou realmente muito feliz por saber que não estou só nesta estrada.

Que por muito tempo sejamos Eu, vocês e a Bete.

+ Não há comentários

Deixe o seu