A Pirâmide Alimentar Infantil

A Pirâmide Alimentar Infantil


piramide infantil 3
No último texto, disse que encerraríamos o tema sobre pirâmide alimentar, mas ao buscar um novo tema, me dei conta do erro que cometeria ao esquecer nossas crianças e adolescentes e suas recomendações nutricionais específicas para cada fase de suas vidas.

 

Para não confundirmo-nos, nas últimas semanas abordamos um guia alimentar voltado para os adultos, ou seja, pessoas com mais de 18 anos de idades completos. Hoje, vou falar da pirâmide alimentar infantil, dedicada para uma alimentação saudável desde os 6 meses de idade até os 17 anos e 11 meses.

 

A pirâmide alimentar infantil tem como objetivo ajudar nas boas práticas alimentares das crianças e adolescentes. Para isso, a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), estabeleceu algumas orientações, que envolvem desde a oferta de alimentos e nutrientes, adequados não só em quantidade como também em qualidade, a fim de suprir as necessidades nutricionais requeridas para um bom crescimento e desenvolvimento, desde o nascimento da criança até a vida adulta.

 

Sabemos que até o 6 meses de vida, a Organização Mundial de Saúde (OMS), estabelece o leite materno como o único alimento que deve ser ofertado a criança, portanto faz da amamentação a única fonte de nutrição do bebê. Agora, a partir dos 6 meses, essa uni fonte não oferece sozinha todos os nutrientes necessários, sendo,importante, a inclusão de outros tipos de alimentos a dieta do bebê. Mas quais são esses alimentos? De onde vêem esses nutrientes? Existem alimentos proibidos para essa faixa etária? Assim, para melhor ilustrar e orientar a como deve ser feita a composição das perfeições a SBP elaborou uma nova pirâmide alimentar para o público infantil, que facilita o conhecimento sobre o uso de cada grupo de alimentos e suas respectivas quantidades durante o dia.

 

Como vimos na ilustração acima, a pirâmide infantil apresenta 4 grupos alimentares, distribuídos em 4 andares, bem diferente da pirâmide que conhecemos na semana passada. Mas, logo observamos que a hidratação e a atividade física, também têm suas importâncias destacadas na pirâmide dos pequenos.

 

Abaixo, segue uma tabela que descrevem os grupos alimentares e suas respectivas recomendações diárias, de acordo com a faixa etária:

 

tabela imagem

 

Mas atenção! Alguns cuidados devem ser tomados com a inserção de novos alimentos a partir do 6 meses.  Notamos que as fontes de leite e derivados devem continuar sendo de origem materna sempre que possível, caso contrário, procure orientações de pediatras e nutricionistas para inserção de fórmulas infantis adequadas a idade.

 

No primeiro ano de vida deve-se respeitar a capacidade mastigatória da criança, ou seja, a consistência deve começar líquida e com o tempo evoluir para uma dieta mais pastosa. Para facilitar  a ingestão de todos os nutrientes, nas grandes refeições, a composição das “papinhas” deve ser completa, ou seja, deve-se encontrar, de preferência, a seguinte combinação: uma fonte de carboidrato  (tubérculo ou cereal), associados à uma leguminosa (proteína de origem vegetal), como também as carnes (proteína de origem animal), e alguma hortaliça (vegetais ou legumes). Ressalto que nessa fase, alimentos industrializados devem ser evitados e o uso de mel ou de qualquer outra fonte de açúcar, é proibido. Recomenda-se que os alimentos sejam oferecidos separadamente, para que a criança identifique os vários sabores e, desta forma, os aceite.

 

Nos próximos dois anos de vida, as refeições salgadas já se assemelham às dos adultos. Nessa fase, as crianças devem receber diariamente o total de 5 refeições: 3 refeições principais (café da manhã, almoço e jantar) e 2 lanches (colação e ceia), em quantidades adequadas. Deve-se estimular o consumo de frutas e verduras e os tipos de alimentos escolhidos devem ser adequados à capacidade de mastigar e de engolir de cada criança.

 

Entre os 4 e 10 anos de idade, as crianças estão nas fases  pré-escolar e escolar, portanto, deve-se tomar cuidado com aspectos comportamentais da criança, pois nessa fase muitas vezes o ambiente social é mais importante do que o ato de se alimentar. Deve-se, portanto, apresentar alimentos mais atrativos (com cor, textura e cheiro agradáveis) e evitar forçar a alimentação se a criança não quiser comer. Além disso, é importante lembrar-se de fracionar todas as refeições, a fim de que não se coma muito em um só horário. Na fase pré-escolar o esquema alimentar deve ser composto por cinco ou seis refeições diárias, com horários regulares e pré-definidos. Na fase escolar, deve-se tomar cuidado com a independência nas escolhas alimentares que as crianças adquirem, sempre alertando para o consumo de uma alimentação variada de todos os grupos alimentares, evitando alimentos industrializados, principalmente em cantinas escolares.

 

Em todas as fases é importante ressaltar a necessidade da ingestão de água e da inclusão de alimentos naturais, como frutas, verduras e legumes, bem como evitar o consumo de alimentos industrializados. Nesse aspecto, cabe aos pais e aos cuidadores ficarem atentos e optarem pela prática de hábitos mais saudáveis. Ações simples e práticas, como substituir um suco industrializado na lancheira por uma fruta, por exemplo, podem tornar uma alimentação que irá dar o aporte necessário para a nutrição adequada e ajudará na prevenção e no controle de doenças.

 

Abaixo, a SBP dispôs uma lista de alimentos e a quantidade de cada um deles que corresponde a 1 porção. Os exemplos utilizados são para crianças maiores de 1 ano de idade. Vejamos:

 

Grupo 1 – Carboidratos

 

Pães, cereais, massas, raízes e tubérculos

  • 2 colheres de sopa de: aipim cozido, macaxeira ou mandioca (48g), ou arroz branco cozido (62g) ou aveia em flocos (18g)
  • 1 unidade de batata cozida (88g)
  • 1/2 unidade de pão tipo francês (25g)
  • 3 unidades de biscoito de leite ou tipo “cream craker” (16g)
  • 4 unidades de biscoito tipo “maria” ou “maisena” (20g)

 

Grupo 2 – Frutas e Hortaliças

 

Frutas

  • 1/2 unidade de banana nanica (43g), caqui (50g) ou fruta do conde (33g) ou pêra (66g) ou maçã (60g)
  • 1 unidade de caju (40g) ou carambola (110g) ou kiwi (60g) ou laranja lima ou pêra (75g) ou nectarina (69g) ou pêssego (85g)
  • 2 unidades de ameixa preta (15g) ou vermelha (70g) ou limão (126g)
  • 4 gomos de laranja ou seleta (80g)
  • 6 gomos de mexerica ou tangerina (84g)
  • 9 unidades de morango (115g)

 

Verduras e Legumes

  • 1 colher de sopa de beterraba crua ralada (21g) ou cenoura crua (20g) ou chuchu cozido (28g) ou ervilha fresca (10g) ou couve manteiga cozida (21g)
  • 2 colheres de sopa de abobrinha (40g) ou brócolis cozido (27g)
  • 2 fatias de beterraba cozida (15g)
  • 4 fatias de cenoura cozida (21g)
  • 1 unidade de ervilha torta ou vagem (5g)
  • 8 folhas de alface (64g)

 

Grupo 3 – Proteínas

 

Leguminosas

  • 1 colher de sopa de feijão cozido (26g) ou ervilha seca cozida (24g) ou grão de bico cozido(12g)
  • 1/2 colher de sopa de feijão branco cozido (16g) ou lentilha cozida ou soja cozida (18g)

 

Carnes em Geral

  • 1/2 unidade de bife bovino grelhado (21g) ou filé de frango grelhado (33g) ou omelete simples (25g) ou ovo frito (25g) ou sobrecoxa de frango cozida (37g) ou hambúrguer (45g)
  • 1 unidade de espetinho de carne (31g) ou ovo cozido (50g) ou moela (27g)
  • 2 unidades de coração de frango (40g)
  • 1/2 fatia de carne bovina cozida ou assada (26g)
  • 2 colheres de sopa rasas de carne bovina moída refogada (30g)

 

Leite e derivados

  • 1 xícara de chá de leite fluido (182g)
  • 1 pote de bebida láctea ou iogurte de frutas ou iogurte de frutas (120g) ou iogurte de polpa de frutas (130g)
  • 2 colheres de sopa de leite em pó (30g)
  • 3 fatias de mussarela (45g)
  • 2 fatias de queijo minas (50g) ou pasteurizado ou prato (40g)
  • 3 colheres de sopa de queijo parmessão (30g)

 

Grupo 4 – Óleos e Açúcares

 

Óleos e gorduras

  • 1 colher de sobremesa de azeite de oliva (4g) ou óleo de soja ou canola ou milho ou girassol (4g)
  • 1 colher de sobremesa de manteiga ou margarina (5g)

 

Açúcares – após 1 ano de idade

  • 1 colher de sopa de açúcar refi nado (14g)
  • 1 colher de sopa de doce de leite cremoso (20g) ou açúcar mascavo (18g)
  • 2 colheres de sobremesa de geléia (23g)
  • 3 colheres de chá de açúcar cristal (15g)

 

Água: 

(Quantidade de água de acordo com DRI)

  • 0 a 6 meses – 700 mL (incluindo leite materno ou fórmula infantil)
  • 7 a 12 meses 800 mL (incluindo leite materno, fórmula e alimentação complementar)
  • 1 a 3 anos – 1300 mL (900 mL como sucos, outras bebidas e água)
  • 4 a 8 anos – 1700 mL (1200 mL como bebidas e água)
  • 9 a 13 anos – 2400 mL (meninos, 1800 mL como bebidas e água) e 2100 mL (meninas, 1600 mL como bebidas e água)
  • 14 a 18 anos – 3300 mL (meninos, 2600 mL como bebidas e água) e 2300 mL (meninas, 1800 mL como bebidas e água)

 

 

Camila Cialdini Faria

Nutricionista Clínica &

Educadora em Diabetes- CRN9: 9661

+ Não há comentários

Deixe o seu