Posso até ser diabético, mas aqui ninguém é de açúcar!

Posso até ser diabético, mas aqui ninguém é de açúcar!


Eu disse pro Pablo que este ano não seria formado de falsas promessas.
Prometi para ele que mudaria, que poderia acreditar mais nele e chegar além do que fosse capaz.
Realmente tem sido assim. Desafiando, lutando contra as fraquezas e os medos sobre as incertezas de um vida diabética, de um futuro incerto para um presente mais consistente.
Quando meu amigo Bruno publicou essa foto com a legenda “Aqui ninguém é de açúcar!” foi a deixa que precisava para refletir sobre desafios.
Na ocasião, estava fazendo um passeio com uma adrenalina maior, num quadriciclo, sob chuva, lama e belas cachoeiras.
E estou me desafiando com coisas simples, mas indo em frente. Assim que deve ser, pois olhar para trás pode gerar uma insegurança e proporcionar um fincar dos pés que impede de evoluir.
Ah, mas agora o Pablo virou o atleta, o cara apaixonado por esportes e aventuras? Não! Continuo sendo o mesmo, mas querendo novas experiências para continuar sendo feliz e dizer que estou verdadeiramente aproveitando todas as coisas sem qualquer limitação.
Não seja o meu exemplo, seja a sua referência e desperte suas potencialidades.
Ah! Mas com ou sem diabetes devemos fazer isso? Claro! Mas se é o diabetes que justifica as suas fraquezas apoie-se nele e o transforme na sua maior força/motivação.
E sim, continuarei dando grandes exemplo daqueles que foram além do diabetes, se tornaram atletas olímpicos, profissionais, artistas e grandes referências como diabéticos. Isso pelo menos pra mim me motiva, além do mais, se escorar em pessimismos sobre essa doença não será papo deste blog, mas acredito que você não terá esforço em encontrar aqueles que filosofam sobre a maldição diabética!
Bem, posso até ser diabético, mas não sou de açúcar e vou em frente com frio, calor, vento, sol e chuva!

Viva a VIDA!