Sim, sou uma “mãe pâncreas” e quem disso que isso é algo fácil?

Sim, sou uma “mãe pâncreas” e quem disso que isso é algo fácil?


Diariamente recebo mensagens de jovens e adultos com diabetes que por meio do Eu e a Bete encontram um espaço para conseguir seguir em frente nesta caminhada.

Além disso, muitos contatos acontecem por aqui de pais e mães preocupadas com os seus filhos e como será o futuro deles com a Bete.

A última mensagem que recebi, foi da Fernanda, que no alto de sua emoção, resolveu escrever, desabafar e me pediu para compartilhar essa mensagem para que outras mães que, assim como ela, acompanham o blog e podem muito bem entender o que ela sente.

Para tantas “Fernandas” e mães pâncreas deixo aqui meu carinho e respeito. Vocês são verdadeiras leoas que incansavelmente lutam sem direito a descanso pelos seus filhos.

||

Mesmo já se passando dois anos de diagnóstico do diabetes tipo 1 ainda não consigo aceitar e entender ,fico me perguntando todos os dias o por quê isso aconteceu com meu filho e não comigo,por que com ele que é tão novinho, será que a culpa é minha?  Todos dizem que não no fundo até sei não é minha culpa,mais  não consigo colocar minha cabeça no travesseiro e dormir como era antes.

Todas as noites tinha por costume rezar e agradecer a Deus, hoje perdi minha fé, são dois anos que tenho que dizer não para uma criança de 10 anos que quando quer comer uma bala, um bombom, um pudim,ou mesmo um brigadeiro, ainda tem pessoas que tem a capacidade de me dizer que ele é grande e vai entender ,vai entender como se eu que sou adulta não entendo o porquê de não comer um doce para poder perder peso ,você imagina ele que só tem 10 anos e ainda não viveu nada, porque  as pessoas vivem dizendo que ele pode ter uma vida normal com o diabetes, normal é uma criança brincar, pular sem se sentir mal ter que voltar para casa e picar os dedinhos para ver não está com uma hipoglicemia, normal á a criança poder acordar e tomar o seu café da manhã sem precisar picar o dedinho e fazer insulina antes de ir para a escola, normal é chegar na escola e na hora da merenda não precisar que o seu lanche seja diferente , não é  normal uma criança saber que sua vida depende de uma caneta de insulina, que se não for pelas inúmeras picadinhas do dia tudo seria muito diferente,porque sempre me pergunto porque é tão difícil das pessoas entenderem que o diabetes tipo 1 é diferente da tipo 2, que a diabetes do meu filhos e tantos outros filhos por aí não é porque nós mães dávamos muito doces para eles, não a diabetes dos nossos filhos não é mesma dos avós de vocês, nossos filhos tem um deficiência auto imune do pâncreas  isso é tão difícil de ser entendido.
Muitas vezes a única coisa que nós mães de diabéticos queríamos é um pouca mais de compreensão  que isso que acontece como o meu filho pode acontecer com qualquer outro e não adianta dizer que já era pra eu ter acostumado com doença  por que já se passaram dois anos nunca vou me acostumar, no máximo tentar aceitar porque dói muito sair para trabalhar e não saber se seu filho vai se alimentar da forma adequada ou se atirar no açucareiro de colherinha parece até bobagem mais as vezes sinto que essa é a vontade dele por mais que tenha tanta opção de diets no mercado,por fim acho que todos que tens dúvidas antes de julgar ou tentar dar citar exemplos saibam do que estão falando,tente ao menos não magoar as pessoas,e que 2017 seja um novo ano de superações e acima de tudo de descobertas porque é só isso que precisamos de novas descobertas  para que nossos doces continue com saúde o longo caminho que os esperam.

+ Não há comentários

Deixe o seu