O que influencia a sua vida?

O que influencia a sua vida?


Bom dia pessoal!

Confesso que escrever me ajuda demais a esvaziar-me da dolorida rotina.

Depois da descoberta da Bete, este feito contribui até hoje no meu pleno relaxamento e continua sendo uma das minhas principais rotas de fuga para os meus momentos de crise. Tenho um desabafo silencioso nas palavras, que causa uma reflexão e um desafio de promover o enlace de ideias das coisas que acontecem comigo e ao meu redor.
Acabo sem dúvidas analisando o que posso provocar no momento em que você irá ler isso ou se na verdade terá alguém que de fato irá dedicar alguns minutos do seu valioso tempo para tal. Bem, não crio os meus pensamentos com essa expectativa, mas tenho a necessidade de ter o cuidado com o que tento passar por aqui diariamente sobre um assunto tão sério.
Não sou escritor, muito menos jornalista e acredito que devo errar muitas das vezes na concordância e gramática. Que bom que tenho o “Word” ao meu lado ajudando a evitar maiores desastres ou crimes de assassinato a língua portuguesa. rs

Por que estou entrando neste assunto hoje?

Não sou hipócrita, sei pelo menos o que quase 30 mil pessoas em uma página representam, mas poderiam ter 100 e teria a consciência disso.
Navegando pela internet observei que as redes sociais tomam cada vez mais influência sobre as pessoas. Páginas no Facebook, canais do Youtube e outras ferramentas, acabam se tornando formadores de opinião.
Não me julgo um formador de opinião e já cansei de falar que não quero ser o exemplo de diabético.
Apenas promovo aquilo que um dia busquei por aqui. Alguém que falasse a mesma língua que a minha, fosse “humano”, não científico e me incentivasse a seguir em frente com a minha vida após o diabetes.
Então, ainda sobre influência, vi muitos canais tratando sobre o papel de influenciar pessoas que talvez nunca terão a oportunidade delas conhecerem.
Na minha opinião, neste universo virtual, cheio de inutilidades eu acredito que sim, é importante mais pessoas se apresentarem, expressarem o seu ponto de vista e promoverem grupos que visem quebrar paradigmas não só pela internet, mas principalmente fora delas. No meu caso, falar sobre uma patologia se torna tarefa extremamente delicada e difícil, mas amo fazer a minha abordagem e até quando permitirem farei minha parte. Sou grato por cada um que me acompanha todos os dias aqui.
Aguardem 2016, pois tenha certeza que muitos projetos envolvendo o Eu e a Bete irão ocorrer.
Afinal, graças a tudo isso, foi possível unir a você nesta nossa luta diária por boas glicemias e controle da nossa Bete.

Um grande abraço!

+ Não há comentários

Deixe o seu