Os Benefícios do Pilates

Os Benefícios do Pilates


Oi pessoal!

É com muito prazer e carinho que volto na “Eu e a Bete – Diabetes” para passar mais informações sobre atividade física e quero agradecer pelas mensagens de carinho e boas vindas que recebi no blog e na página do Face.

Hoje vou abordar um pouco sobre os Benefícios do Pilates que particularmente é uma atividade que eu amo e adoro dar aula.

O método Pilates foi criado por Joseph Hubertus Pilates no início da década de 1920. Este método engloba o condicionamento físico e mental e tem como objetivo trabalhar o corpo como um todo envolvendo a correção postural, o realinhamento muscular, o equilíbrio físico-mental desenvolvendo a estabilidade corporal necessária para uma vida mais saudável e longeva.

O Pilates se baseia na Contrologia (controle consciente de todos os movimentos musculares do corpo) e usa 6 princípios como fundamento durante os exercícios. São eles:

  • Concentração
  • Respiração
  • Alinhamento
  • Controle do Centro (Casa de Força, Core ou Power House)
  • Eficiência
  • Fluência dos Movimentos
Alunos do Estúdio de Pilates Encontro do Corpo || Professora Bianca Machado

Alunos do Estúdio de Pilates Encontro do Corpo || Professora Bianca Machado

Como resultado do Pilates, temos como benefícios relacionados à compreensão do próprio corpo o aumento da força, aumento do controle muscular, integração do corpo com a mente, melhoria da capacidade respiratória, prevenção de lesões, aumento da flexibilidade, fortalecimento, correção postural, reestruturação do corpo, aumento da consciência corporal, aumento da autoestima e alívio das dores já que muitas vezes essas dores são consequências da má postura, falta de flexibilidade ou força.

O controle do Centro é um dos principais fundamentos, pois ele é a nossa “Casa de Força ou Power House” (área abdominal localizada entre as costelas superiores e a pélvis que envolve os músculos profundos da coluna e o centro de força do corpo). Quanto mais forte for essa “casa”, mais poderoso e eficiente é o movimento. Este Centro é recrutado sempre antes de iniciar cada exercício e é ativado durante o processo respiratório dele. No momento da Inspiração do ar ocorre o aumento da capacidade de absorção no diafragma expandindo a caixa torácica e durante a Expiração faz-se o movimento de fechar as costelas empurrando delicadamente o umbigo e contraindo os músculos profundos do abdômen com objetivo de estabilizar o centro corporal enquanto realiza com precisão os movimentos dos braços e pernas.

Os 3 músculos abdominais (Reto abdominal, Obliquo externo e interno e Transverso abdominal) trabalham juntos com os músculos da coluna formando o centro. Além deles, os praticantes de pilates também usam a musculatura do assoalho pélvico (controlam o fluxo urinário e impurezas sólidos do corpo) na casa de força. O fortalecimento deste é importante para os idosos, já que nesta fase a incontinência urinária e fecal é muito frequente.

Alunos do Estúdio de Pilates Encontro do Corpo || Professora Bianca Machado

Alunos do Estúdio de Pilates Encontro do Corpo || Professora Bianca Machado

Por ser uma atividade física, proporciona perda calórica, mas não é o seu principal foco. O pilates deve ser praticado por quem busca uma vida saudável, com boa postura, músculos flexíveis, corpo bem definido, melhorar a circulação sanguínea, a respiração… As aulas são adaptadas para as limitações de cada indivíduo, logo quem possui hérnia, hipertensão, obesidade, cardiopatias, gestantes e diabetes também podem fazer. Atualmente tem várias modalidades que se originaram do Pilates como o Matt Pilates, Aero Pilates, Neo Pilates, Pilates Funcional entre outros.

Os exercícios de alongamento do Pilates podem melhorar a qualidade de vida dos portadores da Diabetes Mellitus, pois se espera que através deles, o diabético tenha uma melhor utilização da glicose pelos músculos alongados favorecendo a diminuição da hiperglicemia. Como a DM afeta os tendões, a circulação e sensibilidade, os diabéticos apresentam mais complicações musculares esqueléticas como osteopenia, artropatias, síndrome do túnel do carpo, periartrite do ombro, síndrome da mão dura entre outros. Essas alterações se devem à hiperglicemia crônica e são semelhantes àquelas que ocorrem no envelhecimento. As regiões que tem maior limitação nos diabéticos são as falanges, punhos e ombros. Logo, o Pilates age diretamente nessas regiões e no corpo como um todo, melhorando a flexibilidade.

Sabemos que para os portadores da DM os exercícios aeróbios são mais eficientes no aumento da sensibilidade à insulina do que os exercícios resistivos, mas a combinação de ambos são eficazes para a melhoria da sensibilidade a insulina e na resposta de ação dela. E aí vamos fazer Pilates ?

 

Referências Bibliográficas

www.fisioterapiamanual.com.br

www.institutonewpilates.com

www.personalcorepilates.com.br

+ Não há comentários

Deixe o seu