Páscoa e Diabetes

Páscoa e Diabetes


No período de Páscoa, é difícil resistir às tentações, especialmente para nós diabéticos. São prateleiras e tendas nos supermercados cheias de tradicionais ovos de chocolate, em embalagens com cores vibrantes, com diferentes sabores e até brinquedos que atraem as crianças. O cheirinho típico de chocolate desperta o interesse de todos, principalmente nessa época.

Mas será que nós, diabéticos, temos que nos privar dos deliciosos ovos de Páscoa?
A resposta é clara: Não! Lembre-se que o diabetes (Bete) vai permanecer conosco sempre (ou melhor, até alguém encontrar uma cura, que ainda não existe), então não devemos nos privar e sim fazer escolhas inteligentes na hora de adquirir o chocolate, e aproveitar de forma equilibrada e feliz. Então, nada de privações desnecessárias!


Benefícios do Chocolate

O cacau é o componente em maior abundância no chocolate, que apresenta substâncias benéficas como os flavonóides e os polifenóis, importantes antioxidantes que protegem o nosso organismo contra os danos causados pelos radicais livres. Esses radicais estão associados ao aparecimento de doenças cardiovasculares, alguns tipos de câncer e envelhecimento precoce. Ainda, os polifenóis auxiliam na redução da pressão arterial e do LDL (“mau colesterol”).

Além disso, proporciona sensação de bem estar e prazer, por apresentar magnésio, cafeína, triptofano, teobromina e feniletilamina, que estimulam a produção da endorfina, serotonina e dopamina.

 

Tipos de chocolate

  • Chocolate ao leite: é o mais comum, geralmente tem um preço mais baixo, pois parte da massa de cacau é substituída por leite em pó e açúcar, por isso é um chocolate mais cremoso e adocicado (pelo menos 25% de cacau).
  • Chocolate branco: é a versão mais calórica, cremosa e gordurosa, não contém cacau, nesse caso é feito de manteiga de cacau, açúcar e leite. Tem grande quantidade de gordura saturada, e não traz benefícios à saúde.
  • Chocolate meio amargo: apresenta normalmente de 30 a 50% de cacau, costuma ser menos calórico, porque tem menos leite, açúcar e gordura.
  • Chocolate amargo: possui maior concentração de cacau (geralmente acima de 70%), o que oferece maiores benefícios devido as propriedades do cacau. Tem um gosto amargo acentuado, sendo considerado um alimento funcional.
  • Chocolate orgânico: o cacau utilizado é orgânico, produzido sem uso de agrotóxicos e fertilizantes químicos (compostos tóxicos), logo, apresentam qualidade superior. Há as opções ao leite, amargo, diet e à base de soja.
  • Vale ressaltar que, hoje, existem todas essas opções citadas acima sem o açúcar, o que é bem melhor.

 

E o chocolate diet?

Normalmente é elaborado com 30% de cacau, manteiga de cacau, leite em pó integral, soro de leite e adoçantes artificiais. Geralmente mais calórico que o chocolate ao leite, porque tem maior quantidade de gordura. O teor de carboidratos do chocolate diet geralmente é similar ao chocolate com açúcar.

 

Outras versões de chocolate:

Essas opções não apresentam em sua composição o cacau, por isso não são considerados verdadeiramente chocolates, porém apresentam gosto similar.

  • Chocolate de soja: feito com extrato de soja, 100% vegetal, sem lactose, cafeína e glúten. Indicado para vegetarianos, pessoas com intolerância à lactose, doença celíaca e alérgicos à proteína do leite de vaca. Pode ser consumido por diabéticos.
  • Alfarroba: uma vagem adocicada e pouco calórica que, depois de torrada e moída, é utilizada como substituta do cacau. Não contem glúten, lactose e cafeína. Pode ser consumida por vegetarianos, pessoas com intolerância à lactose, doença celíaca e alérgicos à proteína do leite de vaca. Pode ser consumido por diabéticos.

 

Qual a melhor opção de ovo de Páscoa para os diabéticos? 

           Nós diabéticos não precisamos comer somente o ovo de Páscoa diet. Apesar do chocolate diet não conter açúcar (sacarose), apresenta alto teor de calorias e gordura, principalmente a saturada, que contribui para o aumento do peso, piora do perfil lipídico e prejudica o controle glicêmico.

            A American Diabetes Association (ADA) possui inúmeras pesquisas que demonstram que a sacarose não aumenta a glicemia mais do que qualquer outro tipo de carboidratos, como por exemplo, a frutose que é encontrada no cacau.

Portanto, os diabéticos devem optar por versões mais saudáveis como chocolate amargo, orgânico, feito de soja (não transgênica) ou alfarroba. Como dito anteriormente, existem essas opções com e sem açúcar. Desde que o diabético faça a contagem de carboidratos corretamente, pode também optar pela versão com açúcar.

 

Cuidado para não comprar gato por lebre, olhe sempre a lista de ingredientes e para saber qual a composição do ovo de Páscoa. Lembre-se que os ingredientes com maior quantidade estão no começo da lista. A tabela nutricional é muito importante. Uma dica: no caso do chocolate, a cada 15 gramas de carboidratos, o valor das gorduras totais deve ser de até 5 gramas.


Ovos de Páscoa Saudáveis e Crianças Diabéticas

Geralmente os ovos de Páscoa mais saudáveis não apresentam em sua embalagem o apelo comercial através de brinquedos ou pacotes que chamem a atenção. Dessa forma, muitas crianças escolhem ovos de chocolate mais coloridos e divertidos, ou seja, opções menos saudáveis devido à maior quantidade de açúcar e gordura no chocolate. Então, segue uma dica para as crianças que descobriram diabetes recentemente e toda Páscoa recebem ovos com brinquedinhos. A sugestão é comprar o ovo de Páscoa saudável e embalar com papel que remeta à infância ou algum super herói que a criança goste. Coloque alguma miniatura de boneco ou brinquedo de que a criança goste. O importante é que a criança não sinta diferença na Páscoa só porque agora é diabético.

 

Qual a quantidade?

O ideal é fracionar o chocolate em porções pequenas (25g), armazenar na geladeira embalados com papel alumínio e comer um pouco durante a semana, ao invés de comer o ovo de Páscoa inteiro.

 

Qual o melhor horário?

O ideal é consumir um pedaço de chocolate (até 25g) logo após o almoço ou jantar, porque normalmente essas refeições apresentam verduras, legumes e frutas, ou seja, possuem fibras solúveis na sua composição, essenciais para evitar picos de glicemia.

Por fim, desejo a todos os amigos do Eu e a Bete uma excelente Páscoa, repleta de saúde e, sobretudo, amor, pois esse é o verdadeiro sentido da Páscoa!

Captura de Tela 2016-01-19 às 02.57.58

 

+ Não há comentários

Deixe o seu