Saúde Sexual e Diabetes

Saúde Sexual e Diabetes


Começaremos hoje abordando um tema, que ainda é um tabu na nossa sociedade.

Historicamente foi transmitida a idéia de que o sexo é proibido, é um pecado, e muito relacionado ao prazer. Por isso você pode conhecer pessoas que se sentem culpadas, ou ao contrário, muito bem resolvidas por entender o significado deste ato em sua vida, com o prazer que lhe é transmitido. Mas quando existe um problema de ordem sexual, as coisas complicam, as pessoas ficam mais reservadas e se privam de falar sobre este tema, por causar desconforto.

A diabetes nesse contexto, é um dos fatores que influenciam no desejo e no interesse sexual.

Estatísticas apontam que problemas sexuais afetam 75% dos homens e 35% das mulheres com diabetes. Na verdade, não é a diabetes que provocam essas alterações, voltamos ao fator principal: Controle da glicemia. A glicemia elevada causa neuropatia e danos nos vasos sanguíneos por todo o corpo, e alguns desses danos provocam as disfunções sexuais.

Os problemas mais comuns são: libido e desejo sexual prejudicados; ereções nos homens; lubrificação vaginal nas mulheres; e orgasmo. Infecções do trato urinário e vaginal, tornando a relação sexual mais dolorosa.

A glicemia descontrolada, desenvolvem nos homens disfunção erétil, a incapacidade de ter uma ereção firme o suficiente para a penetração. Uma neuropatia pode interromper a comunicação normal de excitação; açúcar elevado no sangue pode reduzir a produção de óxido nítrico; e danos nos vasos sanguíneos podem reduzir o fluxo sanguíneo para os nervos do pênis e para o próprio pênis.

Nas mulheres a glicemia alta pode perturbar a função sexual de várias maneiras. Glicemia descontrolada pode causar danos aos vasos sanguíneos, diminuindo a excitação sexual e sensibilidade, lubrificação vaginal, e a resposta sexual. O excesso de glicose também pode predispor as mulheres a infecções fúngicas vaginais crônicas e infecções do trato urinário. Infecções fúngicas frequentes, mesmo se forem tratadas com terapias sem prescrição médica, podem resultar em irritação vaginal persistente e dolorosa. Uma duração prolongada dos níveis de glicemia alta pode causar fadiga e diminuição da libido. Especialmente nas mulheres, o estresse associado com diabetes ou outras causas também pode diminuir a libido,

A manutenção da saúde sexual

Nos homens e nas mulheres alguns cuidados precisam ser tomados, promovendo uma melhor saúde sexual. Testar a sua glicose no sangue regularmente e manter os valores de glicose dentro da variação desejada. Controlar a pressão arterial e o colesterol e parar de fumar também são passos importantes.

Se você tiver um problema sexual, consulte seu médico para uma avaliação e diagnóstico. Relate os medicamentos que toma, pois alguns medicamentos para pressão arterial e antidepressivos também podem causar disfunção erétil. Caso o seu problema seja devido à medicação, muitas vezes é possível prescrever um agente sem esse efeito colateral. Disfunção erétil é tratável, e os medicamentos disponíveis ajudam as ereções, aumentando o fluxo sanguíneo para o pênis. Se os medicamentos não são para você, muitas alternativas, incluindo dispositivos e implantes, estão disponíveis. Se você está preocupada com a secura vaginal que torna a relação sexual desconfortável, um lubrificante pode ser útil. Tratamentos prescritos podem ajudar a resolver a irritação vaginal resultante de infecções fúngicas crônicas e cremes hormonais podem melhorar a sensação.

Com um diagnóstico correto, tratamento adequado e um bom controle do diabetes, você pode manter a função sexual e continuar a ter relações sexuais mesmo com a diabetes.

Mais uma vez conclui-se que o controle glicêmico melhora não somente a qualidade de vida, como a saúde sexual. Essa escolha quem faz é você.

E lembre-se falar sobre o assunto é a melhor maneira de deixar de lado o tabu e a insegurança.

Cuide-se! Seja Feliz! Previna-se!

Fonte: http://www.portaldiabetes.com.br

 

2 Comentários

Deixe o seu

+ Deixe um comentário