Ser diferente ou fazer a diferença?

Ser diferente ou fazer a diferença?


Ser diferente ou fazer a diferença?

– Amor, tira uma foto minha?
– Como você quer?
– Assim como você está me vendo?
– Você vai fazer o que com essa foto?
– Ah! Você já sabe, espere e verá! rs

A ideia da foto veio hoje, ao experimentar uma roupa em uma loja e refletir no que havia de diferente em mim?

Na verdade além desta “barriguinha sem vergonha” nada e para os outros, há algo que me diferencie?

Duas “coisas brancas” coladas na minha barriga a princípio, podem provocar a curiosidade dos outros. Como isso pode definir que eu possa ser diferente?

O fato de ser diabético não está evidenciado na roupa que eu visto e nem nos meus afazeres. O detalhe da doença só se torna visível se eu, caso queira, me exponha aos outros e indique estar com uma bomba de insulina, faça na rua um teste de glicose ou tome alguma ação de nossa agitada vida com a Bete publicamente.

Lembro logo assim que descobri ter diabetes, estar no metrô e ver uma senhora manipulando aquilo que eu, naquela ocasião, achava estranho, mas era uma bomba também. Quanta diferença no meu entendimento de lá pra cá não é mesmo?

Me mostrar sem camisa pode soar ridículo pra você neste momento, mas pode ser absurdo também, o fato de um Homem tornar pública sua vida com uma doença.

Então estou aqui mais uma vez, despido de pudor e pronto para pedras e tropeços, pois sou um ser humano antes de mais nada, cheio de imperfeições, mas cheio de certezas do que quero pra mim.

E uma das convicções que carrego é o fato de querer fazer a diferença, não por me achar diferente por ter uma doença, mas provar por meio desta que ela não me intimida, não me limita e me faz aprender todos os dias a importância de ser um Homem saudável.

O fato de ser diabético não lhe diferencia dos outros. As suas atitudes com o diabetes que podem significar uma grande diferença na qualidade da sua vida.

Pense nisso e seja feliz.

+ Não há comentários

Deixe o seu