Tenho diabetes, sou uma pessoa normal?

Tenho diabetes, sou uma pessoa normal?


Depois do diabetes, surgiram dúvidas, perguntas, reflexões e muitas outras coisas que até o momento não obtive respostas.

Uma delas se eu poderia me sentir uma pessoa normal.

Tudo hoje é preconceito. Da cor da sua pela até da roupa que veste. E ser diabético também é considerado muitas das vezes algo anormal, digno de preconceito.

Esta semana, estamos destacando o caso do desrespeito de uma escola com um jovem com diabetes e a abordagem sobre os cuidados do diabetes dentro de uma escola. Isso tudo poderia ser normal, se o diabetes tivesse uma orientação, informação, educação, mas acaba sendo anormal por tantos fatores que merecem inclusive um outro texto.

Curioso, que somos num universo com cerca 16 milhões de diabéticos no Brasil, mas a sociedade não consegue agir normalmente a esta situação. Ainda é tabu, perigoso, ácido e açucarado saber que um diabético pode comer doce, exemplo. Que coisa não? Pode ser normal pra você que tem diabetes e anormal para um não diabético saber disso.

Mas pra mim, anormal é saber que destes 16 milhões, a grande maioria não se cuida, mal sabe o que é diabetes e aqueles deste grupo que se cuidam, gritam por socorro para que os insumos sejam distribuídos normalmente.

Não condeno quem uso o folclore da “Minha avó com diabetes”, mas critico quando o diabetes é uma nota de rodapé no jornal, quando as entidades associados ao assunto, a mídia, a política e tantos outros meios lembram deste tema quando se cria uma polêmica ou quando chega o dia 14 de novembro.

Existe muito do que mudar, existe um universo a se modificar, mas cá pra nós, me julguem como anormal, pois me sinto sim um ser humano normal com diabetes.

E será que existe alguém normal?

+ Não há comentários

Deixe o seu