Como é viver com uma bomba de insulina

Como é viver com uma bomba de insulina


Pablo, como é viver com algo pendurado e preso em você 24 horas por dia?
 
É como se sentir o homem biônico. Ter um grande poder em mãos e com uma grande responsabilidade presa no meu bolso.
 
Sinceramente não me interessa por quanto tempo terei de levar comigo essa bomba de insulina, furando minha barriga, me alimentando de insulina e pendurada comigo.
 
Desejei tanto isso que seria ingrato reclamar ao olhar pra essa bomba e questionar o motivo de estar nessa condição.
 
“Ah, mas eu se eu fosse diabético não conseguiria!” Mas se você fosse diabético, então saberia exatamente o que eu vivo e o quão essencial isso é pra mim.
 
O que é irrelevante aos “normais”, pra nós, é tão incrível quanto uma final de copa do mundo.
 
O número 100, por exemplo. No nosso contexto, significa uma glicemia fantástica.
 
O 7 associado a palavra “glicada” soa como corais de anjos aos nossos ouvidos.
 
Ter a chance de comer um doce numa hipo, pode parecer tolo e errado, mas tenha uma hipo e vai me dar razão.
 
E tantas outras coisas que para os outros são estranhas e pra nós, significa metas, desafios e oportunidades.
 
Me tonar uma pessoa amarga por estar diabético? Claro que não! Sou “doce” demais pra isso. Melhor compartilhar amor que amarguras.
 
Não quero pregar a perfeição, pois perfeito não sou, não posso falar que todos os dias acordo feliz por estar com diabetes, mas acordo todos os dias agradecendo a Deus por cada coisa que aconteceu e que me ajuda a seguir em frente.
 
Sempre buscando respostas e sendo um Homem de bem e carregando essa “bombinha” pendurada comigo 24 horas me alimentando de VIDA!

+ Não há comentários

Deixe o seu